Porque você deve se vacinar contra a gripe?

A campanha de vacinação contra a gripe começou no dia 27 de abril e vai até o dia 1º de junho. A meta do governo é vacinar 54,4 milhões de pessoas dentro de um grupo alvo. Para que você não tenha dúvidas a respeito da importância e segurança da vacina oferecida, trouxemos tudo o que você precisa saber sobre ela!

É nessa época do ano, que começa a esfriar e as pessoas tendem a ficar reunidas em ambientes fechados, que o vírus da gripe aparece com maior frequência. A gripe (que é diferente de resfriado) é uma infecção aguda no sistema respiratório, causada pelo vírus Influenza, que possui alguns subtipos circulando no mundo, e alto grau de propagação entre a população. Normalmente, pessoas que contraem os vírus apresentam febre alta, dores musculares, coriza e tosse seca. Na maior parte dos casos, os sintomas desaparecem dentro de 4 a 5 dias, e quando isso não acontece, a gripe tende a evoluir para a sua forma grave, que pode trazer diversas consequências, como as observadas no último surto de gripe nos Estados Unidos.

Nos Estados Unidos, o vírus da gripe (subtipo H3N2) já infectou mais de 47 mil pessoas desde outubro de 2017, levando milhares delas à óbito, principalmente crianças e idosos.

Se você mora no Brasil, pode ficar tranquilo (a): a vacina oferecida pelo Ministério da Saúde traz a proteção contra esse vírus, que já circula em nosso País! Entenda tudo sobre a campanha de vacinação e saiba porque você não pode deixar de se vacinar!

O vírus Influenza

No Brasil, circulam 3 subtipos do vírus Influenza: o A, o B e o C. O C não possui grande impacto na saúde pública, nem está relacionado a disseminação de epidemias, ao contrário dos outros dois.

Dentre os subtipos de vírus do Influenza A, estão o H1N1 e H3N2, entre outros. Estes vírus podem ser encontrados e disseminados por outras espécies de animais, além dos humanos, como suínos, cavalos, mamíferos e aves. Os do tipo B não são classificados em subtipos e são exclusivamente de humanos.

Vacinar contra a gripe

A vacina é o principal instrumento para evitar casos graves de gripe e até mesmo a morte. Ela é capaz de proteger contra dois subtipos de Influenza A (H1N1 e H3N2), e contra a Influenza B.

A campanha de vacinação começa antes do período de frio, visando imunizar as pessoas antes do período em que elas se tornam mais suscetíveis à doença. O nosso organismo leva em torno de 2 a 3 semanas para criar os anticorpos que geram a proteção contra o vírus da gripe após a vacinação, ressaltando a importância em garantir a imunização o quanto antes!

Neste primeiro momento, serão vacinados grupos prioritários que estão propensos a desenvolverem complicações graves em caso de infecção pelo vírus: crianças de 6 meses a menos de 5 anos, gestantes, parturientes (até 45 dias após a realização do parto), profissionais da área da saúde, povos indígenas, indivíduos com 60 anos de idade ou mais, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, professores da rede pública e privada, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e portadores de condições clínicas especiais.

Você se encontra dentro dessa lista? Se sim, vá até o posto de saúde da rede pública mais próximo com um documento de identificação e carteira de vacinação, e garanta a sua imunização!

Transmissão

O vírus da gripe não é seletivo e acomete indivíduos de todas as idades. A forma mais comum de transmissão é através de pessoa para pessoa: gotículas expelidas por indivíduos infectados pelo vírus Influenza, através da fala, de espirros ou de tosses. A transmissão também pode ocorrer pelo ar, através da inalação de partículas residuais que podem ser levadas a distâncias maiores de que 1 metro.

Há casos em que o vírus da Influenza é transmitido através de contato com a secreção de pessoas doentes também, ainda que mais raras.

Tratamento

Pessoas que apresentarem os sintomas da gripe, febre alta, dores musculares e na garganta, prostração, dores de cabeça e tosse seca, por mais de 3 dias, devem procurar atendimento médico especializado, que vai avaliar a necessidade do uso de medicamentos.

Na maior parte dos casos, não é necessário utilizar medicamentos. É fundamental apenas que o doente se mantenha em repouso (sem sair de casa, se possível) e beba bastante água. Com estes cuidados, a recuperação costuma vir dentro de até 1 semana.

Se a pessoa doente apresentar sintomas como dificuldade respiratória, lábios de coloração azulada ou roxeada, dor ou pressão no abdômen ou no peito, tontura ou vertigem, vômito persistente, ou até convulsões, devem procurar imediatamente uma unidade de saúde.

Prevenção

A melhor maneira de se prevenir contra a gripe é reduzindo os riscos de adquirir a doença:

  • Manter a higienização das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento;
  • Cobrir o nariz e a boca ao espirrar e tossir;
  • Utilizar lenços descartáveis para a higiene nasal;
  • Evitar tocar olhos, nariz e boca;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal;
  • Manter os ambientes ventilados;
  • Evitar contato com pessoas que estão doentes.

O JubiJubão gravou um vídeo tirando as principais dúvidas sobre a vacinação e a campanha que acontece até o dia 1º de junho. Confere o vídeo, prepare a carteira de vacinação e corra até o posto de saúde mais próximo de você para garantir sua imunização!

Fonte: Ministério da Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.