Floresta Amazônica: Biodiversidade, características, importância ecológica

A Floresta Amazônica é considerada a maior floresta tropical em extensão e a maior reserva de biodiversidade do planeta. Ela abriga mais de 30 mil espécies de plantas.

Floresta Amazônica
Foto: Ascom/MMA

A floresta amazônica, que cobre boa parte do noroeste do Brasil e se estende até a Colômbia, o Peru e outros países da América do Sul, é a maior floresta tropical do mundo, famosa por sua biodiversidade. Ela é atravessada por milhares de rios, entre eles o grandioso rio Amazonas. Entre as cidades ribeirinhas, com arquitetura do século XIX que data do início da exploração de borracha, destacam-se Manaus e Belém, no Brasil, e Iquitos e Puerto Maldonado, no Peru.

É a maior floresta tropical do mundo. Ocupa cerca de 600 milhões de hectares, cobrindo nove países, sendo mais da metade no território brasileiro. Em território nacional constitui a Amazônia Legal, que inclui os estados do Pará, Amazonas, Roraima, Amapá, Rondônia, Acre e parte dos estados do Maranhão, Mato Grosso e Tocantins.



É na região amazônica que se encontra a maior bacia hidrográfica do mundo, tendo como principal rio o Amazonas, o maior rio do mundo em extensão e volume de água. Outros rios grandes, médios e pequenos atravessam essa região. Estima-se que cerca de 20% das águas doces do planeta circulam na bacia Amazônica.

Os solos apresentam baixa retenção de nutrientes, pois a grande quantidade de chuvas lixiviam esses solos, retirando seus nutrientes. Porém, uma fina camada de nutrientes se forma a partir da decomposição de folhas, galhos, frutos e animais mortos, sendo muito importante para as plantas da região.

Apesar dos solos quimicamente pobres, a vegetação da Floresta Amazônica é exuberante, densa e perene, pois os poucos nutrientes do solo são absorvidos rapidamente pelas raízes das árvores, que os liberam novamente para o solo, realizando uma constante e rápida ciclagem de nutrientes.


FLORA DA FLORESTA AMAZÔNICA

Basicamente existem três tipos de formações vegetais:

  • Mata de terra firme – localiza-se em áreas mais elevadas, não atingidas por inundações periódicas. As árvores são de grande porte e determinam a fisionomia da comunidade, representadas pela castanheira, mogno, angelim, andiroba, cedro e outras. Existe também elevada quantidade de cipós, plantas herbáceas e epífitas, palmeiras, liquens e musgos.
  • Mata de várzea – localiza-se em terras mais baixas e está sujeita a inundações periódicas. Nas partes mais altas as árvores são capazes de suportar inundações por alguns meses. Elas brotam quando a água está baixando e florescem e dão frutos quando a água está subindo. Os solos são mais férteis, pois no período de cheia as águas depositam sedimentos ricos em nutrientes nesses solos. Destacam-se árvores como o cumaru, seringueira e jatobá.
  • Mata de igapó – localiza-se em terrenos baixos próximos aos rios, onde os solos estão quase sempre alagados. A vegetação é baixa com árvores afastadas e adaptadas ao ambiente alagado, como a palmeira jauari (Astrocaryum jauari). A vitória-régia também é encontrada nesse ambiente.

A fauna da Floresta Amazônica é riquíssima. Inúmeras espécies de mamíferos, aves, répteis, anfíbios, peixes e invertebrados habitam esse ambiente. Onças, macacos, ariranhas, jacarés, tucanos e cobras são alguns desses animais.

O desmatamento da Floresta Amazônica reduz sua biodiversidade, além de empobrecer os solos e poluir os rios, entre outros impactos. As atividades agropecuárias, madeireiras e de mineração, as queimadas e o contrabando de animais são as principais ameaças a essa floresta. Estima-se que a floresta já perdeu quase 20% do seu tamanho original.


FAUNA DA FLORESTA AMAZÔNICA

Além da exuberante flora, a floresta amazônica também abriga diversas espécies animais.

Alguns animais encontrados são: onças, suçuaranas, jaguatiricas, peixes-boi, pirarucus, jabutis, ariranhas, tucanos, araras, jiboia, sucuri.

BIODIVERSIDADE

A biodiversidade da floresta amazônica é exuberante e os seus números impressionam:

  • Mais de 1.300 espécies de aves;
  • Mais de 3.000 espécies de peixes;
  • Mais de 30.000 espécies de plantas;
  • 1.800 espécies de borboletas;
  • 427 espécies de anfíbios;
  • 378 espécies de répteis;
  • Até 3.000 espécies de abelhas;
  • 311 espécies de mamíferos.

Ainda cabe ressaltar que muitas dessas espécies são endêmicas, ou seja, só existem na região amazônica. Por isso, a conservação da floresta é de extrema importância.


AMEAÇAS

Muitos problemas ambientais afetam a floresta amazônica, os principais são:

  • Desmatamento
  • Queimadas
  • Criação de pastos
  • Disputa de terras
  • Assentamentos humanos
  • Caça e pesca ilegal

Em 1995, foi o ano em que ocorreu o maior desmatamento na Floresta Amazônica. No Brasil, o estado do Pará é o recordista em desmatamento na Amazônia.

O desmatamento da Amazônia libera quantidade significativa de gases de efeito estufa. Por isso, a redução do desmatamento é a melhor ação para o Brasil reduzir os seus nível de emissão de gases e contribuir para a redução do efeito estufa e consequentemente do aquecimento global.


AMAZÔNIA LEGAL

Criada em 1953, a Amazônia Legal é uma área que abrange nove estados brasileiros: Acre, Amapá, Pará, Amazonas, Rondônia, Roraima, Mato Grosso, Tocantins e Maranhão. Ela compreende, aproximadamente, 61% de todo o território brasileiro.

O objetivo da criação da Amazônia Legal é promover o desenvolvimento econômico e social da região.


Siga nossa instagram: @bioencia.

Curta nossa fanpage: @bioencia.

Siga nosso Twitter: @bioencia.


Por Aurélio Paz

Idealizador do projeto Bioência em 2010. Graduado em Sistemas para Internet pela Faculdade de Tecnologia São Mateus. Graduação incompleta em Ciências Biológicas pelo Centro Universitário São Lucas. Atualmente trabalha com Webdesing e Marketing de Conteúdo. Especialista em SEO (Search Engine Optimization).

Facebook Twitter Instagram Tumblr Email Website


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email