Coronavírus causa nova doença grave em crianças e adolescentes

Síndrome Inflamatória Multisistêmica Infantil (MIS-C) aparece semanas após a infecção pelo vírus

Coronavírus causa nova doença grave em crianças e adolescentes

Síndrome Inflamatória Multisistêmica Infantil (MIS-C) aparece semanas após a infecção pelo vírus; sintomas começam com manchas na pele e evoluem para problemas cardíacos, renais e neurológicos, podendo levar à morte. O Coronavírus causa nova doença grave na Inglaterra, Itália e EUA que reportam 200 casos.

Equipes médicas devem ficar atentas a uma nova inflamação que está afetando crianças e adolescentes e pode estar ligada ao novo coronavírus, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS) em um comunicado divulgado na última sexta-feira, dia 15 de maio.

A doença, batizada como Síndrome Pediátrica Inflamatória Multissistêmica Temporariamente Associada ao SARS-CoV-2 (PIMS-TS), é grave, requer cuidados intensivos e pode ser fatal.

A doença causa inflamação nas paredes das artérias de tamanho médio e pode danificar o coração. Os sintomas incluem alergia, problemas cardíacos e de coagulação no sangue, vômito, diarreia e dor abdominal.

Embora a nova síndrome também envolva inflamação, especialistas em doenças infecciosas dizem que é diferente da doença de Kawasaki. Os sintomas incluem ainda febre persistente, erupção cutânea, olhos vermelhos, inflamação e mau funcionamento de um ou mais órgãos.

Mas havia duas grandes diferenças.

A nova síndrome também afetava adolescentes, e a maioria dos pacientes analisados havia dado positivo para infecção pelo Sars-CoV-2. Os médicos perceberam que estavam diante de uma nova doença, que foi inicialmente batizada de “choque hiperinflamatório”, e agora de MIS-C. Ela afeta crianças e jovens que pegaram o coronavírus, mas não desenvolveram sintomas da Covid-19.

Já foram identificados cerca de 200 casos na Europa e nos EUA.

Análises preliminares

Recentemente, relatórios médicos vindos da Europa e da América do Norte descreveram grupos de crianças e adolescentes que requerem admissão em unidades de terapia intensiva com uma condição inflamatória multissistêmica.

Relatos de casos descreveram uma apresentação de doença aguda acompanhada de uma síndrome hiper inflamatória, levando a falência e ao choque de múltiplos órgãos.

As hipóteses iniciais são de que essa síndrome pode estar relacionada a Covid-19 com base em testes laboratoriais iniciais que mostram sorologia positiva na maioria dos pacientes. As crianças foram tratadas com tratamento anti-inflamatório, incluindo imunoglobulina parentérica e esteroides.

Pesquisadores afirmam que é essencial caracterizar essa síndrome e seus fatores de risco, entender a causalidade e descrever as intervenções de tratamento. Ainda não está claro o espectro completo da enfermidade e se a distribuição geográfica na Europa e na América do Norte reflete um padrão verdadeiro ou se a condição simplesmente não foi reconhecida em outros lugares.

Existe, portanto, uma necessidade urgente de coleta de dados padronizados que descrevam apresentações clínicas, gravidade, resultados e epidemiologia. A OMS desenvolveu uma definição preliminar de caso e um formulário de relato de caso para distúrbio inflamatório multissistêmico em crianças e adolescentes.

A definição preliminar de caso reflete os recursos clínicos e laboratoriais observados em crianças relatadas até o momento e serve para identificar casos suspeitos ou confirmados, tanto com a finalidade de fornecer tratamento, como também com relatórios e vigilância provisórios. A definição de caso será revisada à medida que mais dados estiverem disponíveis.

Imagem ilustrativa, mostra médico escrevendo no papel, escrevendo que o coronavírus causa nova doença grave em crianças e dolescentes.

Coronavírus causa nova doença: Mais casos relatados

No final de abril, o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido emitiu um alerta aos pediatras sobre a síndrome. Os relatórios também vieram à tona na França, Espanha e Itália, e provavelmente estão entre as dezenas mundialmente.

Já no início deste mês, o Departamento de Saúde da cidade de Nova York emitiu um alerta informando que 15 crianças com idades entre dois e 15 anos haviam sido hospitalizadas com a síndrome. Outros casos foram notificados também em Nova Jersey e na Filadélfia.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) emitiu comunicado alertando para a doença que pode estar ligada ao novo coronavírus.

← voltar à página inicial.
Ler mais conteúdos do blog

Por Aurélio Paz

Idealizador do projeto Bioência em 2010. Graduado em Sistemas para Internet pela Faculdade de Tecnologia São Mateus. Graduação incompleta em Ciências Biológicas pelo Centro Universitário São Lucas. Atualmente trabalha com Webdesing e Marketing de Conteúdo. Especialista em SEO (Search Engine Optimization).

Email Website


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email